Fotografo: Correio dos Carajás
...
Sem Legenda

Foi preso na manhã da última sexta-feira, 7, o principal suspeito pelo duplo homicídio que vitimou mãe e filha no município de Breu Branco, na região sudeste do Pará. Adenilson Lima da Silva estava dentro de uma van de transporte de passageiros na cidade de Goianésia do Pará quando foi reconhecido por populares. A PM do 37º Pelotão fez a abordagem do veículo e efetivou a prisão do acusado.

O crime aconteceu na noite da última quarta-feira, 5, no assentamento rural conhecido por Sapucaia, que fica a cerca de 20 quilômetros do centro da cidade de Breu Branco. De acordo com o delegado Rommel Souza, superintendente da Polícia Civil, pertencente a 9ª RISP do Lago, mãe e filha, foram assassinadas a tiros de espingarda do tipo cartucheira.

Em relação aos crimes, ele explicou que o suspeito Adenilson morava há cerca de três meses na comunidade rural. E que na noite dos brutais assassinatos, ele permaneceu de tocaia à espreita da vítima Eunice Pereira, que ao chegar em sua casa foi atingida com um tiro. Em seguida, o assassino entrou no imóvel e encontrou a filha, Silvana na sala do imóvel. Ela também foi morta com tiro de cartucheira. No ambiente havia crianças e adolescentes que conseguiram fugir por uma porta nos fundos do imóvel. Após matar as duas mulheres, Adenilson também é suspeito de atear fogo em um comércio pertencente às vítimas.

Equipes das polícias Civil e Militar e ainda uma unidade do Centro de Perícias Renato Chaves foram ao local. Nas diligências, a Polícia Civil prendeu em flagrante um tio de Adenilson, identificado por Carlito da Silva, por posse ilegal de munição.

“Sabemos que ele é um assassino contumaz”, disse o delegado Rommel. Sobre a motivação dos crimes, a vítima Eunice Pereira poderia ter descoberto algum crime praticado por Adenilson, “e este a matou para silenciá-la”. Já a segunda morte seria queima de arquivo.

Adenilson foi conduzido à Depol de Breu Branco, onde será ouvido pelo delegado responsável pelo inquérito. E em seguida colocado à disposição da Justiça. No momento da prisão, em Goianésia do Pará, ele teria confessado os assassinatos.