Fotografo: Reprodução
...
Sem Legenda

No dia em que o Governador do Estado, Helder Barbalho, decretou lockdow na capital e em mais nove municípios paraenses, o Pará registrou 45,52% de índice de isolamento social, ocupando a 8ª posição do ranking nacional, muito distante do recomendado pelos órgãos de saúde pública que é de 70% da população em casa. Esse é o segundo pior índice já computado, perdendo apenas para o dia 30 de abril, quando o índice apontou 45,26% de isolamento social. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (6), pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), por meio da Secretaria Adjunta de Inteligência e Análise Criminal (Siac).

■ Lockdown: veja o que muda e o que funciona durante esse período no Pará

O secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado, chamou atenção para o comportamento das pessoas que fez refletir nos números abaixo de 50% de isolamento. Reforçou, ainda, que sem a contribuição da maioria das pessoas, medidas mais enérgicas precisaram ser tomadas.

"O Pará teve ontem um dos seus piores isolamentos sociais, cerca de 45% apenas de isolamento, abaixo de 50%, quando o recomendado é 70%. Ficamos na 8ª posição, e o Pará que estava oscilando sempre entre os cinco melhores Estados, teve o índice de isolamento muito ruim em termo de percentual e também em termos de ranking, o que demonstra a necessidade de todos os governos integrados atuarem com mais firmeza, tendo em vista que o simples apelo e recomendação de isolamento social não ter sido suficiente para que a população compreendesse a gravidade do momento que estamos passando. Em razão disso, medidas mais rigorosas foram adotadas e serão implementadas para que a gente possa atingir o objetivo almejado. Ualame Machado, secretário de segurança pública.

Municípios - De acordo com o levantamento, ao analisar as cidades paraenses, os três melhores índices de isolamento, com as pessoas passando mais tempo em casa, estão nos municípios de Bannach (64,3%), Nova Esperança do Piriá (64,3%) e Magalhães Barata (62,5%). Os piores índices são em Sapucaia (26,5%), Palestina do Pará (28,1%) e Piçarra (30,5%).

Nos municípios de Marabá (sudeste) e Santarém, que já contam com Hospitais de Campanha para pacientes de covid-19, e Breves (no Marajó), que espera apenas equipamentos para a unidade, as taxas de isolamento registradas na terça-feira foram, respectivamente, 41%, 38,8% e 65,1%.

Belém e Ananindeua - Em Belém, incluindo os distritos, os bairros com as maiores taxas de concentração em casa na terça-feira foram: Campina de Icoaraci (62,1%), Val-de-Cães (60,5%) e Terra Firme (58,9%). Já os bairros onde as pessoas desobedeceram à recomendação de ficar em casa, registrando um baixo índice de isolamento, foram: Águas Lindas (26,7%), Cidade Velha (30,2%) e Águas Negras (31,5%).

Em Ananindeua, os melhores índices foram registrados nos bairros Cidade Nova VII (53,5%), Júlia Seffer (53,4%) e Centro (52,8%). Já os piores índices foram observados nos bairros Guanabara (32,2%), Cidade Nova V (36,0%) e Icuí-Laranjeira (36,4%).

Na terça-feira, a capital paraense registrou índice de 48,3% e Ananindeua, 46,5%.

Serviço: A porcentagem de isolamento dos 144 municípios paraenses e o monitoramento completo estão disponíveis em um espaço exclusivo sobre os índices no site da Segup.

Índices de isolamento por bairro em Belém na terça-feira (5):

Melhores: Campina de Icoaraci (62,1%), Val-de-Cães (60,5%) e Terra Firme (58,9%).

Piores: Águas Lindas (26,7%), Cidade Velha (30,2%) e Águas Negras (31,5%).

Índices de isolamento por bairro em Ananindeua na terça-feira (5):

Melhores: Cidade Nova VII (53,5%), Júlia Seffer (53,4%) e Centro (52,8%)

Piores: Guanabara (32,2%), Cidade Nova V (36,0%) e Icuí-Laranjeira (36,4%).