Fotografo: Reprodução
...
Sem Legenda

Dezenas de toras de madeira apreendidas em operações de combate a crimes ambientais foram atingidas por chamas em um incêndio no município de Senador José Porfírio, na região do Xingu paraense, na tarde desta terça-feira (08). Existe a suspeita de que o incêndio tenha sido criminoso, causado por pessoas que se sentiram prejudicadas pela ação e queriam agir em vingança.

Segundo o Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA) da Polícia Militar, eles estavam incumbidos de vigiar o pátio do estádio municipal de Senador José Porfírio, onde estava depositada a madeira apreendida pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas). Por volta de 13h30, durante o horário de almoço dos policiais, eles receberam a ligação de um agente da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Turismo (Semat), dizendo que havia um incêndio no local.

Quando os policiais chegaram, parte da madeira já estava sendo consumida pelas chamas, e a única alternativa era salvar o resto das toras. Houve uma espécie de mutirão dos populares, que ajudaram com baldes d'água, e ainda um empresário disponibilizou bombas e um caminhão-pipa, que foi usado para apagar o fogo e impedir que as chamas consumissem o resto das toras. 

Em nota, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade disse que tem conhecimento do incêndio, e que a carga de madeira havia sido apreendida por ter sido explorada ilegalmente, sendo armazenada em um pátio de estocagem de Senador José Porfírio. A Semas já solicitou que a origem do sinistro seja investigada pelas esquipes de segurança do Estado.